"Feliz por ser gordo" - É possível?

Josy Marmello mais uma vez falando sobre excesso de peso? Sim!
Depois de ter assistido a um programa chamado "I'm happy to be fat" (eu sou feliz por ser gordo), quis debater o assunto com vocês. O programa originalmente exibido pela MTV norte-americana em 2008 foi apresentado pela MTV brasileira na madrugada de quarta para quinta feira.
Infelizmente, a tv tem o péssimo costume de só veicular prestação de serviço enquanto a maioria dorme ou está na balada enchendo a cara.

"I'm happy to be fat" mostra a história de 3 jovens gordinhos (duas garotas e um rapaz - este último, um obeso mórbido) que se dizem bem resolvidos e lindos apesar de não se enquadrarem no esteriótipo da beleza imposto pela sociedade. Sharonda se acha uma gordinha sexy, Roxie cria na universidade onde estuda um movimento de auto-afirmação de quem não tem rosto e corpo de modelo e Mikey é o homossexual de 216Kg que sai à caça de gays sarados pela internet (mas o que ele busca é algo mais sério).

Parece que pela primeira vez, um documentário não fala somente de auto-estima no mundo dos gordinhos. A qualidade de vida (incluindo a clássica dificuldade para se encontrar roupas "transadas" nas lojas) e os riscos à saúde são abordados.

Para quem quiser assistir ao programa, basta acessá-lo por aqui (só é possível assisti-lo na íntegra pelo site da MTV americana). Vale a pena!

3 comentários:

Bia Bueno disse...

Sou feliz gordinha, mas seria mais satisfeita se fosse um pouco mais magra. rss

Magia na Cozinha disse...

O que mais se vê aqui nos EUA são pessoas como este da foto.
Francamente, eu não acredito que alguém com este look possa ser feliz, até pq deve ter muitos problemas de saúde.
Se ainda não tem, vai chegar lá, com certeza.
Uma vez eu fiquei com quase 75Kg em 1.60cm e tinha vergonha de sair na rua. Acho que o limite da gosrdura é o limite da vergonha.
Não sou magérrima como gostaria de ser, mas este pesadelo de ser obesa já faz parte do meu passado, graças a Deus.
Bjs :)

Josy Marmello disse...

Pois é gente... acho perfeitamente compreensível quando a pessoa se aceita como é (gordinha, magrinha, baixinha, de cabelos crespos...) mas exageros são super perigosos. Obesidade mórbida e anorexia são exemplos de uma "falsa aceitação".
O desserviço é quando estes extremos são colocados equivocadamente como exemplos de auto-aceitação da imagem.

Blog Widget by LinkWithin