A pergunta que não quer calar...

Se fosse feita uma varredura na sua casa, mais especificamente no porão, seriam encontradas muitas velharias?

Hoje em dia, a onda retrô (ou vintage, para os "antenados") invadiu as casas, dominou cômodos (se espalhou pela sala de estar em forma de objetos de decoração - que quando são muito "blasées" [será que alguém ainda usa esse termo?] são chamados de "kitsch" pelo mesmo povo ligado em "tendências" -, fincou-se na cozinha com o ar saudosista presente no design dos utensílios e eletrodomésticos...).

Na casa de amigos (e até na minha) a batedeira e o liquidificador Kitchen Aid (vermelhos!) dão aquele ar de "saudade da cozinha da minha avó", posters de filmes antigos pela casa parecem indicar a presença de um senhorzinho cinéfilo no recinto, o aparelho de som (com design antigo - e parcelado em 2x no cartão de crédito na Fnac em 2006) que toca discos de vinil ( e que pode ser conectado ao computador) denuncia que a dona da casa flerta com o passado mas vive a tecnologia do presente.

Bom, vou contar através de fotografias algumas coisinhas bizarras que minha mãe ainda tem na casa dela. Será que a sua (ou você) também tem?

Legenda das velharias (a partir da primeira foto, lá no alto):
1) O Walita Strip. Um troço que as donas-de-casa preguiçosas usavam para descascar legumes ou frutas. "Era um 'frisson' isso aqui", conta minha mãe.
2) O bendito toca-discos que eu precisei parcelar mas que é super útil para rodar meus bolachões. Fala se não é uma graça?
3) Acima, essa "coisinha pequenina" é a Fritanella Walita, que a mulherada comprava para fazer a batata frita das crianças (sei..).
4) A moçoila simpática posa ao lado das clássicas Tupperware, que eram vendidas às nossas mães através de reuniões tipo "chá-de-panela" ( já que não ainda existia a Loja do 1 Real com suas "marmitinhas" fuleiras de 1,99).

E tem mais sessão arqueológica! No que diz respeito à beleza feminina, dois estrondosos sucessos de público:
5) A touca térmica para o famoso "banho de creme" com "coquetel de frutas"(com cheiro de chiclete), um ritual das manhãs de sábado.
6) O secador "ultra-moderno" dos anos 60 que sua mãe guardou por décadas. Prestem atenção ao capacete que vinha junto (ideal para as "cabeça-de-bobs"). Que hor-ror! O da minha mãe é rosa (sim, ela ainda tem isso e funciona!).
7) E na hora de sair com aquele "broto" gatérrimo, adivinha com o que sua mãe passava aquele vestido engomado de bolinhas? Sim, com ferro, tolinha. Mas era com ese ferro da Black&Decker! Esse sim, garantia um tchauzinho firme no futuro, sem pelancas debaixo dos braços!

Atire o primeiro pingüim de geladeira quem nunca viu pelo menos uma dessas "belezuras" diante de seus olhos!
Como eu sempre digo... Recordar é viver (ainda que a recordação não seja lá tão bela...).



Nota da Josy: Achei um vídeo incrível que demonstra a utilização desse secador de cabelos (acima). Um ar-ra-so!

3 comentários:

Fabiana Lima disse...

Conheci o teu blog neste feriado e nao resisti em fazer um comentário neste post.
Quando eu via na TV o Walitta Strip achava o máximo ver a batata rodando e deixando aquela casca como um fiozinho...rs
E sobre esse ferro: não posso falar nada, porque até pouco tempo atrás, minha mãe ainda o usava!

Josy Marmello disse...

Fabiana, obrigada pela visita, viu? Eu achava hilário ver a batata girando (imaginava que se ela tivesse vida própria mandaria minha mãe às favas por deixá-la tonta). Acho que é o tipo de eletrodoméstico ideal para quem sofre do TOC de descascar laranja com a casca inteira (eu tenho!).
Esse ferro é clássico. Quem não teve? E pode apostar que sua mãe deve xingar esses novos, levinhos...
Me visite mais vezes. Adoro gente nova por aqui!

Nana disse...

Ahhhh eu já usei aquela toquinha básicaaaaaaaaa
ahhhhhhhh minha mãe tinha duas hahaha
Agora a fritadeira, acho que foi a pior coisa que a minha mãe comprou, usou duas vezes hahahaha
Querida, um mega beijo.

Blog Widget by LinkWithin